O Executivo Municipal da Póvoa de Lanhoso, liderado por Frederico Castro, completou, a 25 de janeiro, os primeiros 100 dias de governação autárquica. Oportunidade para o Presidente da Câmara Municipal efetuar um balanço destes meses de trabalho à frente dos destinos da Autarquia.

“Foram 100 dias importantes, de estabilização dos serviços da Câmara Municipal e do Executivo; de definição das prioridades e da estratégia para o mandato de 2021 a 2025. Lançámos as bases para que a Póvoa de Lanhoso possa finalmente afirmar-se no cenário distrital e nacional. É esse o meu desejo e o que nós queremos fazer”, refere Frederico Castro.

Durante este período, a palavra de ordem foi “mudança”. “Nestes 100 dias, implementámos medidas importantes, como, por exemplo, alargar o horário de funcionamento da Câmara Municipal, que era de segunda a sexta-feira e que passou a ser de segunda-feira a sábado. Fizemo-lo em colaboração com os funcionários da Autarquia, pensando nos Munícipes e no serviço que a Câmara Municipal quer e pode prestar a toda a população”, salienta o autarca Povoense, de 44 anos, recentemente eleito.

Os órgãos autárquicos da Póvoa de Lanhoso tomaram posse no dia 18 de outubro de 2021. Desde então, tem sido realizado um trabalho de programação e planeamento, de alteração da gestão e de perceção dos anseios das Juntas de Freguesia. “Temos quatro anos pela frente e estes primeiros 100 dias foram de preparação. Preparámos um plano e orçamento para 2022 que tem em vista, em primeiro lugar, resolver compromissos do passado, os quais assumimos com responsabilidade e frontalidade”, afirma o Presidente da Câmara Municipal, que admite que nem tudo correu como esperado. “Temos uma maioria na Assembleia Municipal e outra maioria na Câmara Municipal. Precisamos de ter uma Assembleia Municipal que entenda aquilo que o Executivo quer fazer e que esteja aberta à possibilidade de dar uma oportunidade a este Executivo de implementar a sua visão para o concelho”, desafia o autarca.

Olhando o futuro, Frederico Castro aponta a urgência de alargar a rede de saneamento. “Temos problemas fundamentais para resolver, que têm décadas e que precisam de começar, pelo menos, a ser resolvidos nestes quatro anos. Temos de resolver e criar as condições para ir buscar fundos comunitários no próximo Portugal 2030. Precisamos que os órgãos municipais estejam alinhados neste aspeto, que, em particular, não correu bem nos últimos 100 dias”.

Consciente do desafio que tem pela frente, o Presidente da Câmara mostra-se confiante. “Temos uma vontade muito grande de transformar o nosso concelho e temos a certeza que, com muito trabalho e dedicação da Câmara Municipal, do Executivo, do Gabinete de Apoio à Presidência, de todos os técnicos da Câmara Municipal, dos Presidentes de Junta e dos executivos, dos membros da Assembleia Municipal, todos juntos, dando prioridade àquilo que queremos que seja a Póvoa de Lanhoso, podemos e devemos contribuir para que estes quatro anos sejam de evolução para o concelho, sem reservas, sem preconceitos, dando prioridade aos Povoenses e à Póvoa de Lanhoso”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here